O Grêmio | História | Conquistas | Símbolos | Hino | Estatuto | Regulamento | Código Disciplinar

 

Página Inicial

Nossos Técnicos

 

    Regulamento

 
CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
 

Artigo 1º:
Todos os participantes dos torneios internos do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA obrigam-se, no ato de sua admissão, a obedecer o presente Regulamento Interno em todos os seus itens.

Artigo 2º:
As competições oficiais serão regidas pelas regras da Confederação Brasileira de Futebol de Mesa - Modalidade Três Toques.

Artigo 3º:
Somente poderão participar dos torneios internos e externos os técnicos que estiverem em dia com as suas obrigações financeiras.
§ Único: A não quitação dos débitos importará no impedimento da entrada em campo e a perda dos pontos por WO (2x0) para o adversário, inclusive nos jogos subsequentes até a quitação dos débitos.

Artigo 4º:
Será considerado como uniforme a camisa que identifique claramente o escudo do técnico. Dessa forma, torna-se obrigatório que cada técnico tenha, além da camisa um escudo definido para o seu time.
a) Técnicos que, por tradição, já vêm disputando torneios com camisas que não se enquadrem na descrição acima (exemplo: camisas de clubes de futebol profissional) estarão dispensados de confeccionar um novo uniforme.
b) Os técnicos novatos terão o prazo de um torneio para providenciarem o uniforme obedecendo à descrição acima. Em hipótese alguma será permitido aos novos técnicos do Clube, que utilizem camisas de times de futebol profissional.
c) Os técnicos que não estiverem corretamente uniformizados serão impedidos de realizar suas partidas, independentemente da eventual concordância do árbitro e dos seus adversários, estando sujeitos a perda de pontos por WO (2x0).


 
CAPÍTULO II - DAS TAXAS E MULTAS
 

Artigo 5º:
Cabe única e exclusivamente e, a qualquer momento, à Diretoria a definição dos valores das taxas de admissão, mensalidades e chamadas extras.
§ Único: É obrigação da Diretoria divulgar, através de Nota Oficial e com antecedência mínima de 30 (trinta) dias, os novos valores que serão cobrados.

Artigo 6º:
A taxa de admissão deverá ser paga antes do primeiro jogo oficial do novo associado.
§ Único: Os técnicos com idade inferior a 18 (dezoito) anos completos estão isentos do pagamento da taxa de admissão.

Artigo 7º:
A mensalidade deverá ser paga até o primeiro sábado de cada mês.
§ Único: Os técnicos com idade inferior a 18 (dezoito) anos completos estão isentos do pagamento da mensalidade.

Artigo 8º:
Todas as multas impostas pelo Clube a qualquer associado deverão ser pagas até o primeiro sábado posterior ao dia em que elas foram aplicadas.
§ Único: Caso a multa não seja paga no prazo determinado, o técnico ficará sujeito as sanções previstas no Artigo 3º.

Artigo 9º:
Os associados que se afastarem do Clube por qualquer motivo, seja ele desistência de disputar algum dos torneios internos, licenciamento ou suspensão, continuam obrigados a pagar as mensalidades, estando sujeitos às penalidades previstas no presente Regulamento no caso do não cumprimento desta norma.
§ 1º: O associado, para licenciar-se do Clube deverá comunicar, por escrito e em formulário próprio, à Diretoria e, manterá todos os direitos previstos no Estatuto do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA e no presente Regulamento, desde que mantenha em dia o pagamento das mensalidades.
§ 2º: Ao retornar do período de licenciamento, os técnicos entram na disputa de torneios internos na divisão mais inferior do Clube.

Artigo 10º:
Os associados que ficarem inadimplentes ou que se afastarem das atividades do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA sem manterem o pagamento das mensalidades por período superior a 120 (cento e vinte) dias, perderão o direito de associado, sem direito a quaisquer tipo de indenização.
§ Único: Caso estes associados desejarem retornar ao Clube, deverão pagar nova taxa de admissão.

 

CAPÍTULO III - DOS TORNEIOS INTERNOS E COPAS
 

Artigo 11º:
Compõe a Temporada Oficial do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA a disputa de 5 (cinco) torneios, 2 (duas) copas e a Taça Eficiência.
§ 1º: A Diretoria poderá, a seu exclusivo critério, cancelar ou acrescentar novos torneios durante a Temporada Oficial.
§ 2º: Na hipótese de um crescimento do número de associados em atividade no Clube, fica a critério da Diretoria a criação de novas divisões.

Artigo 12º:
Caberá a Diretoria, no início de cada temporada, publicar e informar aos técnicos associados, o calendário anual contendo a relação completa de todas as competições internas do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA, bem como as datas de início, fim e data limite para inscrições de cada torneio.
§ Único: A Diretoria também deverá publicar e informar aos técnicos associados as datas de realização de todos os torneios externos que o GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA irá participar.

Artigo 13º:
Caberá a Diretoria a criação da fórmula de disputa, organização e acompanhamento do andamento dos torneios internos.
§ 1º: Caso o torneio não seja disputado em divisões, a Diretoria deverá divulgar até duas semanas antes do seu inicio a tabela completa, contendo data, horário, árbitro, mesário e árbitro suplente, bem como a fórmula de disputa e o regulamento do referido torneio.
§ 2º: Caso o torneio seja disputado em divisões, a Diretoria deverá divulgar até uma semana antes do seu inicio a tabela completa, contendo data, horário, árbitro, mesário e árbitro suplente, bem como a fórmula de disputa e o regulamento do referido torneio.

Artigo 14º:
Somente participarão dos torneios os técnicos que solicitarem sua inscrição, por escrito, com antecedência de 30 (trinta) dias ao início de cada torneio, conforme o calendário das competições.
§ 1º: No formulário de inscrição o técnico deverá informar à Direção Técnica:

  • O seu mando de campo;

  • A sua frequência, de acordo com as opções oferecidas;

  • Os horários em que estará no Clube, de acordo com as opções oferecidas

§ 2º: Os horários de realização das partidas serão os seguintes:

RODADA
INÍCIO
TÉRMINO
01
13:00
14:00
02
14:10
15:10
03
15:20
16:20
04
16:30
17:30
05
17:40
18:40
06
18:50
19:50
Artigo15º:
No ato da inscrição o técnico deverá informar qual a mesa em que ele mandará seus jogos. Dessa forma, não será permitida a troca de mesa dentro de um torneio. Caso o técnico não indique a sua mesa, caberá à Direção Técnica determinar a mesa onde este técnico mandará suas partidas.
§ Único: Na hipótese de haver coincidência de partidas marcadas para o mesmo horário de dois técnicos ou mais que ocupem a mesma mesa, é de exclusiva responsabilidade destes a solução do problema. Não havendo acordo entre as partes, prevalece a preferência para o técnico que ocupa a mesa há mais tempo, devendo o outro escolher outra mesa que esteja livre naquela rodada para realizar a partida em questão.

Artigo 16º:
Após a divulgação da tabela, o técnico que necessitar alterar a data ou horário de algum jogo, deverá apresentar à Direção Técnica em até 7 (sete) dias após a data marcada do jogo, por escrito e em formulário próprio, a sua justificativa. Caberá, única e exclusivamente, à Direção Técnica analisar o pedido, e caso seja deferido, remarcar o jogo.
§ Único: Após remarcado o jogo, os técnicos e o árbitro ficarão sujeitos as sanções previstas nos Artigos 17º e 51º, tomando-se como base esta nova data.

Artigo 17º:
Haverá uma tolerância de 15 (quinze) minutos para o início da 1ª rodada de jogos. Caso o(s) técnico(s) se apresente(m) dentro deste limite, o início da rodada dar-se-á imediatamente. Caso algum técnico não se apresente para jogar no horário determinado pelas tabelas dos torneios internos, perderá automaticamente os pontos da partida para o seu adversário por WO (2x0). No entanto, ele poderá realizar esta partida até as 13:00 (treze horas) do sábado seguinte à data que estava marcada, desde que seu adversário concorde com isso e haja um árbitro voluntário. Tal situação deverá ter o conhecimento e aval da Diretoria Técnica do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA.
§ 1º: Caberá única e exclusivamente ao técnico que perdeu a partida por WO arrumar um árbitro e convencer o seu adversário a realizar a partida em outra data e horário.
§ 2º: Na hipótese de não haver acordo entre as partes, valerá para efeito de classificação e de sanções administrativas ao faltoso o resultado de WO (2x0).

Artigo 18º:
Caso algum técnico receba número igual ou superior a 4 (quatro) WO's em um torneio, estará automaticamente eliminado desta competição, suspenso da competição seguinte e retornará às competições do Clube na divisão mais inferior do torneio seguinte à sua suspensão, seja ela a 2ª, 3ª, ou 4ª divisão.
§ Único: Os WO´s provenientes de sanções disciplinares não eliminam automaticamente o técnico da competição.

Artigo 19º:
Na hipótese de eliminação de um técnico de um torneio, em virtude de W0's, todos os seus resultados serão anulados para efeito de classificação no torneio. No entanto seus adversários não serão beneficiados em nenhuma hipótese com pontos no Ranking Interno do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA em virtude destas sanções.

Artigo 20º:
A contagem de pontos dos Torneios Internos e das Copas, exceto a Taça Eficiência, se fará da seguinte maneira:
— 3 (três) pontos ganhos para o técnico vencedor do jogo;
— 1 (um) ponto ganho para cada técnico, em caso de empate;
— 0 (zero) ponto ganho para o técnico perdedor do jogo.

Artigo 21º:
O critério de classificação dos Torneios Internos, exceto as Copas e a Taça Eficiência, se fará da seguinte maneira:
1º — maior número de pontos ganhos;
2º — maior número de vitórias;
3º — melhor saldo de gols;
4º — vencedor do confronto direto;
5º — maior número de gols marcados;
6º — sorteio.

Artigo 22º:
A Copa Grêmio Mineiro terá como premissas básicas para disputa:
— Será disputada pelo sistema de eliminatória simples, em séries de melhor de três jogos;
— Os jogos e as equipes que ficarão de "bye" deverão ser indicados por sorteio;
— As fases iniciais deverão ser disputadas somente por técnicos das divisões inferiores;
— Não haverá repescagem;
— O técnico que perder uma partida de WO estará automaticamente eliminado da competição, sendo considerado classificado o seu adversário na série.
§ Único: Em caso de perda por WO em apenas uma partida, em função de sanções disciplinares, o técnico não estará automaticamente eliminado da competição.

Artigo 23º:
O critério de classificação da Copa Grêmio Mineiro se fará da seguinte maneira:
1º. Maior número de pontos ganhos, na fase em disputa;
2º. Maior saldo de gols na fase em disputa;
3º. Disputa de pênaltis, conforme critério da FIFA.
§ Único: A classificação final a partir do 3º lugar será obtida da seguinte maneira:
1º. Faltar disputar o menor número de séries até chegar a final;
2º. Melhor rendimento técnico (% pontos ganhos obtidos em relação ao total de pontos ganhos possíveis);
3º. Maior número de jogos disputados;
4º. Melhor saldo de gols;
5º. Maior número de gols marcados;
6º. Sorteio.

Artigo 24º:
A Copa Célio Cardoso Braga terá como premissas básicas para disputa:
— Será disputada pelo sistema de eliminatória simples, em séries de melhor de dois jogos;
— Os jogos e as equipes que ficarão de "bye" deverão ser indicados por sorteio;
— As fases iniciais deverão ser disputadas somente por técnicos das divisões inferiores;
— A série dos perdedores somente será disputada após a entrada dos técnicos da primeira divisão;
— A série dos perdedores será disputada em jogo único e em campo neutro;
— O técnico que perder uma partida de WO estará automaticamente eliminado da competição, sendo considerado classificado o seu adversário na série.
§ Único: Em caso de perda por WO em apenas uma partida, em função de sanções disciplinares, o técnico não estará automaticamente eliminado da competição.

Artigo 25º:
O critério de classificação da Copa Célio Cardoso Braga se fará da seguinte maneira:
1º. Maior número de pontos ganhos, na fase em disputa;
2º. Maior saldo de gols na fase em disputa;
3º. Maior número de gols marcados no mando de campo do adversário;
4º. Disputa de pênaltis em tantas séries de 1 (um) pênalti quantas forem necessárias.
§ Único: A classificação final a partir do 3º lugar será obtida da seguinte maneira:
1º. Faltar disputar o menor número de jogos até chegar a final;
2º. Melhor rendimento técnico (% pontos ganhos obtidos em relação ao total de pontos ganhos possíveis);
3º. Maior número de jogos disputados;
4º. Melhor saldo de gols;
5º. Maior número de gols marcados;
6º. Sorteio.

Artigo 26º:
Somente a Direção Técnica poderá autorizar a realização de qualquer partida fora do horário previamente marcado.

Artigo 27º:
O campeão e o vice-campeão dos torneios internos e as das copas receberão troféus.


 
CAPÍTULO IV - DA TAÇA EFICIÊNCIA
 

Artigo 28º:
A Taça Eficiência corresponde a soma dos torneios internos da Temporada Oficial do Grêmio Mineiro de Futmesa.

Artigo 29º:
Cada Torneio Interno, contará pontos da seguinte maneira: A partir da divisão mais inferior que tiver:
— 1 (um) ponto para o último colocado;
— 2 (dois) pontos para o penúltimo colocado;
— 3 (três) pontos para o antepenúltimo colocado e assim por diante.
— O último colocado da divisão imediatamente superior receberá 2 (dois) pontos a mais que o campeão da divisão inferior;
— O segundo colocado da primeira divisão terá 2 (dois) pontos a mais que o terceiro colocado da primeira divisão;
— O primeiro colocado da primeira divisão terá 3 (três) pontos a mais que o segundo colocado da primeira divisão.
§ Único: Os pontos das Copas deverão ser multiplicados por 0,5 (zero virgula cinco).

Artigo 30º:
O campeão da Taça Eficiência será aquele que, ao final da temporada obtiver a maior soma de pontos, de acordo com o Artigo 29º. Caso duas ou mais equipes obtenham o mesmo número de pontos, o critério de desempate será o seguinte:
1º. maior número de primeiro lugar nos torneios da primeira divisão;
2º. maior número de segundo lugar nos torneios da primeira divisão;
3º. maior número de terceiro lugar nos torneios da primeira divisão;
4º. maior número de quarto lugar nos torneios da primeira divisão;
5º. maior número de quinto lugar nos torneios da primeira divisão;
6º. maior número de sexto lugar nos torneios da primeira divisão;
7º. maior número de pontos ganhos nos torneios da primeira divisão;
8º. maior número de vitórias nos torneios da primeira divisão;
9º. maior número de pontos ganhos nos confrontos diretos em torneios da primeira divisão;
10º. melhor saldo de gols nos torneios da primeira divisão;
11º. maior número de gols marcados nos torneios da primeira divisão;
12º. sorteio.

Artigo 31º:
Os quatro primeiros colocados receberão troféus e, o melhor ataque, a melhor defesa e o botão artilheiro receberão medalhas.
§ Único: O campeão da Taça Eficiência será considerado o CAMPEÃO do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA.

Artigo 32º:
Os jogos com os técnicos convidados contarão pontos para a Taça Eficiência.


 
CAPÍTULO V - DO RANKING INTERNO
 


Artigo 33º:
São computados todos os jogos realizados, nos últimos 365 dias, em torneios internos e externos dos técnicos em atividade no GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA.
§ 1º: Os torneios de Juniores e os de Seniores não terão seus jogos computados por serem "torneios seletivos", ou seja nem todos podem jogar.
§ 2º:
As partidas não realizadas devido a WO´s serão consideradas no Ranking Interno para o técnico perdedor.  Ao técnico vencedor, somente será computado o número de jogos.

§ 3º: As partidas não realizadas devido a abandono de campeonato não serão consideradas no Ranking Interno.  Ao técnico vencedor, somente será computado o número de jogos.


Artigo 34º:
Caso algum técnico se transfira de um outro Clube para o GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA, ele trará para efeito do Ranking Interno os resultados de campeonatos estaduais e brasileiros que houver disputado nos últimos 365 dias.

Artigo 35º:
Os técnicos com menos de 50 (cinqüenta) partidas realizadas no intervalo de 365 dias não serão relacionados no Ranking Interno porém, seus resultados serão considerados para avaliar a performance dos adversários e, quando completarem os 50 (cinqüenta) jogos, passarão a ser relacionados no Ranking Interno.

Artigo 36º:
Para pontuar no Peso "4", será exigido que o técnico tenha jogado pelo menos 5 (cinco) partidas contra adversários deste nível.

Artigo 37º:
Os jogos foram distribuídos em 4 Níveis ou Pesos:

 

PESO "4" — Jogos contra os técnicos que são os atuais campeão e vice da Taça Eficiência do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA;
— Jogos contra os 8 (oito) técnicos melhores colocados no Campeonato Brasileiro INDIVIDUAL do ano imediatamente anterior, independentemente de pertencer ao GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA.

 
   
PESO "3" — Jogos contra técnicos do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA, que tenham mais de três anos de regra, e que já conquistaram pelo menos um torneio interno da Primeira Divisão do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA;
Jogos contra os técnicos colocados entre o nono e o décimo sexto lugar no Campeonato Brasileiro INDIVIDUAL do ano imediatamente anterior, independentemente de pertencer ao GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA .

 
   
PESO "2" — Jogos contra técnicos do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA, que tenham mais de três anos de regra, e que ainda não conquistaram nenhum torneio interno da Primeira Divisão do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA;
— Jogos contra os técnicos que não sejam do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA e que não foram indicados nem para o PESO "4" e nem para o PESO "3".

 
   
PESO "1" — Jogos contra técnicos do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA, que ainda não completaram três anos de regra.

 

Artigo 38º:
As equipes do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA, para qualquer campeonato interclubes, serão formadas segundo a posição dos técnicos no Ranking Interno
no último sábado anterior à data limite de inscrições da competição, não havendo em hipótese alguma a possibilidade de alteração dessa norma.
§ Único: Os convites para torneios externos individuais serão distribuídos de acordo com posição dos técnicos no Ranking Interno 30 (trinta) dias antes do início da competição .

Artigo 39º
As equipes do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA serão compostas por 5 (cinco)
, exceto a equipe “A” (principal) que terá obrigatoriamente 6 (seis) técnicos. .
§ 1º:
Na hipótese de dois ou mais técnicos não apresentarem condições físicas ideais para disputar o campeonato, os técnicos piores colocados irão para as equipes imediatamente abaixo e os técnicos melhores colocados na equipes abaixo sobem para a equipe imediatamente acima.
§ 2º:
Em hipótese alguma uma equipe poderá ter dois ou mais técnicos sem condições físicas ideais para a disputa de um campeonato, devendo os mesmos serem redistribuídos para as outras equipes, de acordo com sua posição no Ranking Interno.

Artigo 40º:
O técnico que desistir de disputar um torneio na equipe em que foi escalado não poderá, em hipótese alguma, compor outra equipe do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA, ficando impedido de disputar o torneio.

Artigo 41º:
A Diretoria pode, a seu critério, formar equipes compostas exclusivamente por técnicos que não tenham o número suficiente de partidas para figurar no Ranking Interno, desde que este técnico não esteja licenciado das atividades do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA e que tenha menos de 1 (um) ano de atividade na Regra dos Três Toques. O objetivo desta medida é possibilitar aos novatos a experiência da disputa torneios externos, que consideramos de grande valor para o aprimoramento na nossa regra e para a motivação dos novos técnicos.

Artigo 42º:
Para escolha das equipes do GRÊMIO MINEIRO "A", "B" e "C", não serão considerados os resultados contra técnicos do PESO "1".

Artigo 43º:
A fórmula de cálculo do Ranking Interno é a seguinte:

 
(Rendimento do PESO "4" x 4) + (Rendimento do PESO "3" x 3) +
(Rendimento do PESO "2" x 2) + (Rendimento do PESO "1" x 1)
 
Rendimento é o percentual da razão entre os pontos ganhos
obtidos dividido pelo total de pontos ganhos possíveis.


Artigo 44º:
Ao final de 365 dias, os técnicos que ficarem com um rendimento acima de 50% (cinqüenta por cento) em relação ao seu nível e também ao nível imediatamente superior ao seu, subirão um nível;
§ Único: Os critérios acima somente serão considerados para os técnicos que jogaram pelo menos 15 (quinze) partidas em cada nível em questão.

Artigo 45º:
Ao final de 365 dias, os técnicos que ficarem com um rendimento abaixo de 50% (cinqüenta por cento) em relação ao seu nível e também ao nível imediatamente inferior ao seu, cairão um nível;
§ Único: Os critérios acima somente serão considerados para os técnicos que jogaram pelo menos 15 (quinze) partidas em cada nível em questão.

Artigo 46º:
Ao final de cada Taça Eficiência, o técnico melhor colocado no nível 2, será automaticamente promovido para o nível 3.
§ Único: Porém, para que ele se mantenha o nível 3, ao final da nova temporada, terá que ter vencido pelo menos um torneio interno da Primeira Divisão do GRÊMIO MINEIRO ou mantenha um rendimento superior a 50% (cinqüenta por cento) tanto no nível 2 quanto no nível 3. Caso contrário, cairá novamente para o nível 2.

Artigo 47º:
Nenhum técnico pode ser rebaixado para um nível onde possua mais de 50% (cinqüenta por cento) de rendimento.

Artigo 48º:
Os técnicos que não são associados do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA, terão como base para indicação de seu NIVEL a classificação no Campeonato Brasileiro INDIVIDUAL do ano anterior.

Artigo 49º:
Os técnicos que disputarem torneios da primeira divisão, exceto as copas, receberão bônus de 70 (setenta) pontos. Os técnicos que disputarem torneios da segunda divisão não receberão bonificação e, os técnicos que não disputarem os torneios, seja por qualquer divisão, serão penalizados com a perda de 70 (setenta) pontos. Tais pontuações serão aplicadas no final da competição.

§ 1º: O técnico que abandonar qualquer torneio, será penalizado com a perda de 70 (setenta) pontos.

§ 2º: O retorno do técnico à disputa dos torneios não anula as penas impostas a ele. Estas penas somente serão anuladas após o final do mesmo torneio da temporada seguinte.

§ 3º: A partir do momento que o técnico não tenha mais pontos no Ranking Interno, as penas impostas por  inatividade não serão mais aplicadas.

 

CAPÍTULO VI - DAS ARBITRAGENS
 

Artigo 50º:
Durante o desenrolar do jogo, o árbitro é autoridade máxima em campo e os técnicos somente poderão se dirigir ao mesmo ponderando, até em casos extremos, convocar a presença de um Diretor ou associado para dirimir dúvidas, desde que o árbitro assim concorde.

Artigo 51º:
Caso algum técnico não se apresente para apitar uma partida, seja por qualquer motivo, será penalizado com a perda de 3 (três) pontos no campeonato a que se refere aquela partida.
§ Único: Esta punição não será aplicada, quando por livre e espontânea vontade, um técnico se apresentar para apitar no lugar do faltoso.

Artigo 52º:
Na hipótese de não haver um técnico voluntário para substituir o árbitro ausente, cabe à Diretoria Técnica, única e exclusivamente a seu critério, indicar um novo árbitro para a partida, estando este novo árbitro sujeito às mesmas penalidades caso se recuse a apitar a partida em questão.
§ Único: Na medida do possível, a Diretoria Técnica, utilizará um sistema de rodízio para as substituições de árbitros, evitando sobrecarregar algum técnico.

Artigo 53º:
Na hipótese de que um técnico não apite uma partida de Copa, perderá também os 3 pontos para o seu adversário na série em que estiver no momento da falta. No entanto, estes pontos não poderão ser computados ao beneficiado para efeito de Ranking Interno e de classificação final da Copa.

Artigo 54º:
Caso o técnico faltoso consiga substituir o técnico indicado pela Diretoria Técnica, dentro do mesmo torneio, sem prejuízo da tabela e com o aval e conhecimento da Direção Técnica, terá a punição imposta pela Diretoria Técnica cancelada.

Artigo 55º:
A Comissão de Justiça e Disciplina deverá julgar processos impetrados pelos técnicos que se sentirem prejudicados por erros de arbitragem (erro de direito).

Artigo 56º:
Toda e qualquer ocorrência deverá constar em formulário próprio e nos mínimos detalhes e, posteriormente levada a julgamento pela Comissão de Justiça e Disciplina, se assim se julgar necessário.

Artigo 57º:
Jamais poderá haver veto ao árbitro. Se algum técnico não aceitá-lo, este perderá o jogo em favor do adversário por WO (2x0).

Artigo 58º:
O árbitro não poderá abandonar uma partida antes de terminada, ficando sujeito a punições por parte da Comissão de Justiça e Disciplina, se assim o fizer.
§ Único: Somente poderá o árbitro abandonar a partida se houver motivos relevantes, caso em que será aplicado o Artigo 52º.

Artigo 59º:
Os técnicos que abandonarem a disputa de um torneio interno ou forem eliminados após receberem número igual ou superior a 4 (quatro) W0's deverão cumprir as arbitragens para a qual foram escalados na tabela do torneio em questão. Caso não cumpram esta determinação sofrerão como punição, além da suspensão por um torneio e o retorno no torneio seguinte na divisão mais inferior em disputa no Clube, a perda de pontos equivalente ao número de partidas que houverem deixado de apitar multiplicado por 3 (três).
Exemplificando: Um técnico abandona o torneio e deixa de apitar 3 partidas. Ao retornar às disputas de torneios no GM, ele inicia sua participação com 9 (nove) pontos negativos na tabela de classificação
§ 1º: Esta punição é válida para o primeiro torneio em que o técnico retornar, independentemente de quando isto ocorrer.
§ 2º: As faltas às arbitragens provenientes de sanções disciplinares não se adaptam a este artigo.


 
CAPÍTULO VII - DO MESÁRIO E DO ÁRBITRO SUPLENTE
 

Artigo 60º:
Os mesários e os árbitros suplentes estarão sujeitos as mesmas sanções previstas no Capítulo VI deste Regulamento.


 
CAPÍTULO VIII - DAS INFRAÇÕES E SUAS PENALIDADES
 

Artigo 61º:
Ressalvadas as sanções de natureza regulamentar aqui expressamente previstas, todas as infrações disciplinares serão processadas e julgadas na forma estabelecida no Código Disciplinar em vigor do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA.


 
CAPÍTULO IX - DA DIRETORIA
 

Artigo 62º:
Compõe a Diretoria do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA os seguintes membros:
— Presidente;
— Vice-presidente;
— Diretor de Finanças;
— Diretor Técnico;
— Diretor de Patrimônio;
— Diretor de Marketing;
— Diretor de Comunicação.

 § Único: Cada Diretor poderá nomear auxiliares para ajudar no desempenho de suas obrigações.

Artigo 63º:
Cabe aos Diretores e seus auxiliares cumprir e fazer cumprir todas as atribuições e obrigações que lhe estão relacionadas no Estatuto do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA e no presente Regulamento.


 

CAPÍTULO X - DA COMISSÃO DE JUSTIÇA E DISCIPLINA
 

Artigo 64º:
Cabe a Comissão de Justiça e Disciplina cumprir todas as atribuições e obrigações que lhe estão relacionadas no Estatuto do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA e no presente Regulamento.

Artigo 65º:
Motivos e argumentos relevantes são todos aqueles que a Comissão de Justiça e Disciplina julgá-los como tais.


 
CAPÍTULO XI - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
 


Artigo 66º:
Em hipótese alguma será permitido que o técnico e/ou o árbitro se apresentem para o jogo sem o uniforme de seu time. Caso isto ocorra, o jogador que estiver sem o uniforme perderá a partida por WO (2x0) em favor do adversário, caso os dois técnicos estejam sem o uniforme a partida não se realizará e o placar será considerado WW (derrota de 2x0 para os dois técnicos). Caso o árbitro não esteja uniformizado, esse será substituído por alguém designado pela Diretoria Técnica e o árbitro será punido de acordo com o exposto no Artigo 51º.
§ Único: O uniforme do árbitro é o seu uniforme de técnico

Artigo 67º:
Não será permitido, em hipótese alguma, que o técnico ou o árbitro se apresente para o jogo de chinelo, sandálias, descalço ou em trajes que ferem a moral e os bons costumes

Artigo 68º:
Durante a realização das partidas, os telefones celulares deverão ficar na Mesa Central onde o Anotador da rodada se responsabilizará pelo atendimento dos mesmos e no intervalo do jogo passará os recados aos técnicos.
§ Único: Caso o técnico resolva atender ao telefone, receberá 1 (uma) falta técnica anotada para cada 10 (dez) segundos de conversa ao telefone.

Artigo 69º:
Não será permitido que um novo técnico use o nome de um time de futebol profissional do Brasil ou do exterior. Terá que criar um nome original e que já não tenha sido utilizado no GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA, bem como confeccionar o escudo do seu time.

Artigo 70º:
Para impetrar qualquer requerimento à Comissão de Justiça, o associado deverá recolher junto à Direção de Finanças uma taxa no valor correspondente a uma mensalidade.

§ Único:  Caso o requerimento seja deferido, a Direção de Finanças terá até dez dias para devolver a taxa ao associado. Caso seja indeferido, na sua totalidade, não haverá devolução da taxa.

Artigo 71º:
O retorno do associado ao quadro social do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA bem como a inclusão de qualquer técnico de outra agremiação nos torneios internos do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA somente serão aprovados mediante aprovação de 2/3 (dois terços) da Assembléia Geral.
 

Artigo 72º:

Quaisquer modificações neste Regulamento somente poderão ser feitas se aprovadas por Assembléia Geral.

 

Artigo 73º:

Qualquer caso omisso neste Regulamento deverá ser decidido pela Diretoria do GRÊMIO MINEIRO DE FUTMESA.

 

Artigo 74º:

Este Regulamento, aprovado em Assembléia Geral realizada nesta data, 08 de março de 2003, cancela e substitui todos os outros Regulamentos e Circulares anteriores a este e, entra em vigor a partir desta data.

 

Belo Horizonte, 08 de março de 2003.

SÉRGIO TÚLIO BURNIER COELHO DE MOURA RANGEL
Presidente
LORIVAL PEREIRA RIBEIRO JÚNIOR
Vice-presidente
FLÁVIO LÚCIO SCARPELLI DOS SANTOS REIS
Diretor de Finanças
EDUARDO FREDERICO DRUMOND
Diretor Técnico
JOSÉ AURÉLIO CORDEIRO TUPINAMBÁ
Diretor de Patrimônio
LUIZ GUSTAVO SCARPELLI
Diretor de Marketing
FREDERICO CESAR MAFRA PEREIRA
Diretor de Comunicação

 

 

 

 

Destaques

 
Links: | Confederação Brasileira de Futmesa | Futebol de Mesa News| Futebol de Mesa Pelo Mundo |
 
Site melhor aproveitado na resolução 1024 X 768
 
Página Desenvolvida por Rafael Alves e Renato Lemos - Todos os Direitos Reservados - 2006